22 January, 2007

Busca Instintiva.

Mas o que eu busco são palavras
o que eu acho é obscuro
a vida transitória
o mundo contingente

Mas o que eu busco é tua alma
o que eu busco é ansioso
aquela luz embaçada
áurea que te faz divina

Mas o que eu busco é confuso
o que eu busco é inevitavel
o mistério puro
desespero inconsolável

Mas o que eu busco na areia
sinais de teus passos
meus braços apertados
minha face, delírio

Quando tudo é
o que parece não ser
luares, neves, neblinas
vastas, brancas, cristalinas.

4 comments:

O invisível said...

muito obrigado!!!
o seu blog tbm é ótimo, parabéns.

J.J. Nunes said...

hummm a vida realmente e uma busca gigantesca.. vc escreve bem abraços!

Monsieur Coçard said...

legal, queria ter inspiração assim... mas meus "poemas" ficam apenas em dísticos... ahUAHUhau gostaria e um dia fazer uma sonata... mas é brabo... muita paciência pra seguir a métrica..

Caroool said...

dib
dib
gostei.^^