19 September, 2007

Encantado Tolo.

Quem é ela a noite,
quando os olhos estão fixamente parados
olhando além do possível?

Cada pesadelo, cada sonho
cada memória escondida

Olhe para ela e diga o que você vê

Onde ela esta, diga
quem deveria partir, quem deveria ficar
o que ela deveria fazer essa noite?

Cada noite um tema diferente,
cada vez ela esta em um sonho diferente
é ela ali?
Quem ela vai ser agora?

Olhe novamente para ela e diga o que você vê

Ela cai, ela odeia
ela ama, ela chora
ela conheçe muitos,
embora nenhum rosto permaneça pra sempre

Ela vôa, ela mata
ela respira, ela morre
apesar de não haver nada que ela não saiba
ninguém pode lembrar onde ela esteve
ou quem ela era

Ela foi uma boba de acreditar
uma boba de acreditar
tudo isso acaba hoje
Sim, tudo isso acaba,
hoje

Olhe para ela, diga o que você vê

Ela é uma criatura do submundo
não pode se permitir amar.

10 comments:

dän said...

oie...voltei! :) beijinhos.

alex pinheiro said...

O submundo tem muito disso mesmo,,, embora eu seja dos que acreditam no amor em tudo quanto é lugar, rs

Gostei do novo layout,,, tudo mais limpot... preciso fazer isso por lá tbm,,, aiaiviw!

Abraços e outras invenções!

Carolina said...

Faz tempo que não vinha aqui, adorei o título do seu blog ^^

Esse poema cabe a muitas meninas, aliás, me vi ele também!

Beijoos

maryfoxxx said...

Me identifiquei com alguns trechos :DD

Fê Probst said...

Ela sabe ser sol e lua, céu e mar. Estrela.

Paulo Fernando said...

"Não pode se permitir amar" e, mesmo assim, é uma das coisas mais românticas que existe.

Noite, tão paradoxal quanto nossa existência.

abraços

Rainha de Copas said...

mas amar é para todos desde que saibam fazê-lo. e a vida ensina.

Luciana Donadéli said...

Quando vc lançar um livro vc me avisa?
;]


:*

Bia said...

Inspirou-se em mim pra escrever o texto da vez?

Hehehehehe, pra não variar: adorei!

Barb. said...

quanta criatividade. mas isso soa tão bem como música! daria um ótimo compositor! sem dúvida ;D