26 September, 2007

Eu Serei Seu Reflexo.

Nada muda, nada se move
eu ando em círculos
no mesmo velho quarto sem vida de sempre
que costumava abastecer a minha noite

E converso com o homem espelho
ele sussurra em meu ouvido,
volte para a terra dos cegos
a terra onde o sol nunca brilha,
o frio e pegajoso homem espelho
está encobrindo meu rosto de novo

E eu corro dando voltas histéricamente
com uma tristeza absolutamente persistente
ele balbucia, ele continua transgredindo
por entre seu estranho espelho

Mas nenhuma droga nesse mundo
irá me salvar de mim mesmo
cale a boca, cale a boca, cale a boca
simplesmente cale a boca
E me deixe respirar por favor

Equanto isso ele acendia uma vela para os pecadores
incendiando o mundo.

8 comments:

dän said...

adoro seus poemas. MESMO.

Rainha de Copas said...

mocinho, você escreve muito bem... parece que você fala poesia o tempo todo.

Vieira Calado said...

Belo poema, com curiosas imagem e bom ritmo.
Um abraço.

Lua Durand said...

é, as vezes eu também preciso muito de silêncio.

e omeu reflexo, já estou cansada, enjoada.

odeio.

meu reflexo.

beijo

au revoir

Lais Mouriê said...

Muito bom!

dän said...

o "oi" do dia. ou da noite..rs. bjs

Lily said...

eita!
que coisa doida! adorei! :)

bjks

Monsieur Coçard said...

caramba! eu sumo por uns dois meses e tá tudo diferente! Menos claro, teus bons poemas :D

abraços