18 August, 2007

Tchau Estranho.

Eu tenho memórias
mais longas que a estrada que se estica adiante
eu não estou voltando para casa,
melhor acreditar nisso

E eu sei que a vida está ficando menor
mas eu odeio pensar na tentativa gasta
todos esses minutos e dias e horas
que eu tenho disperdiçado,
eu tenho uma rotina

Isso não é o suficiente para provar que hoje é o dia?

Se alguem puder, me salve
desse bando de malucos,
que suspeitam que nunca irão crescer

Eu estou condenando o meu futuro,
então eu posso igualar ao meu passado.

8 comments:

Júlim Oliveira said...

lindo o poema!

Clóvis said...

Bacana mesmo o poema!
Isso daria um bom rock and roll...



Abrá.

Carolina said...

Isso só irá acontecer se você quiser!

Beijoos =*

Lily said...

"eu sei que a vida está ficando menor"...

acho q esse é aquele caso da metade cheia/metade vazia do copo:
um copo está na metade, mas os otimistas o vêem como metade cheio e os pessimistas como metade vazio.

apesar dos pesares, eu vejo que a vida está ficando maior, conforme eu vou vivendo... rs


bjksss

alex pinheiro said...

Que confusão agradável, rs
O futuro não deve sinonimar funil,,, a não ser que avancemos despreparados,,, ouvi certa vez que é melhor estarmos preparados e nd acontecer do que estarmos depreparados pra uma boa oportunidade,,,
Acredito que o "gasto" faz parte do que existiu, portanto merece pouco crédito...

Abraços e outras invenções!

Klatuu o embuçado said...

Como disse Sartre: estamos (é) condenados à existência.
Que é o tempo: no passado, presente e futuro.

Abraço.

Leonardo Petersen said...

bom, bom, muito bom. tá na hora de postar, hein.

jefferson p. said...

Felipe, o escrito está muito bom! é música?!

abrç